As características do teatro feito especialmente para bebês

Apresentar ao bebê experiências ligadas à arte é sempre enriquecedor. Além disso, transitar por diversas áreas artísticas desde cedo levará os pequenos a se tornarem adultos mais sensíveis e abertos às diferentes formas de expressões culturais. E há espetáculos de teatro planejados especificamente para os bebês, que estimulam de forma pensada e segura suas capacidades sensoriais e intelectuais.

A construção da peça de teatro precisa ser estruturada para o olhar dos pequenos

“É preciso acessar um vocabulário teatral extenso, não superestimando a técnica nem a deixando de lado; considerar os conceitos psicopedagógicos sem perder a graciosidade e relevância cultural da arte. Entre tantos outros aspectos, ainda conseguir cair nas graças desse público pelo elemento mais simples de todos e ao mesmo tempo não explicado por nenhuma técnica ou teoria: a energia”. Essas são as premissas defendidas pelo diretor Alan de Oliveira e pela atriz portuguesa Liliana Rosa, criadores do Teatro para Bebês, primeira companhia teatral fundada no Brasil especializada nessa faixa etária.

“Os bebês são 100% sinceros. Eles não se esforçam para aceitar alguém. Com eles é ou não é. Um movimento errado pode provocar um efeito cascata de choros e então o espetáculo se perde”, diz Liliana.

Existem vários fatores que influenciam no momento de montar uma peça para bebês. O tempo de duração do espetáculo é um deles e deve ser mais curto que o padrão da maioria das peças infantis. As apresentações costumam ter entre 30 e 40 minutos e normalmente são seguidas por uma exploração sensorial dos bebês e suas famílias. “Esse é o tempo máximo de atenção de uma criança na primeira infância. Os espetáculos são criados com gatilhos peculiares para reter a concentração e têm como pano fundo a improvisação”, explica a atriz.

Tudo é pensado para eles

“O texto é milimetricamente pensado, elaborado e roteirizado de forma específica. Nada linear”, conta Oliveira. A iluminação, as músicas e a sonorização também são especialmente planejadas.

Para que a comunicação entre o palco e a plateia se concretize, a interação é muito importante. “Durante o espetáculo, a curiosidade e a participação dos menores são estimuladas por meio da voz e da palavra, do movimento e do gesto, da iluminação baseada na cromoterapia, dos sons e das melodias arrancadas dos objetos de cena, em uma linguagem elaborada dentro de rigorosos estudos psicológicos. A musicalidade e os ritmos presentes no teatro para bebês convidam à participação e transformam os pequenos espectadores em figuras ativas da encenação”, conclui o diretor.

A arte de contar histórias também é algo importante para estar sempre na rotina dos bebês. Veja como alimentar esse costume e a forma como ele ajuda no desenvolvimento das crianças

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *